Formação para o uso das tecnologias digitais

A educação a distância (EAD) é uma metodologia de ensino que, por meio dos recursos tecnológicos atualmente disponíveis, oferece um processo de aprendizagem completo, dinâmico e eficiente para inúmeras áreas do saber. Na era conectada em que vivemos, a educação online funciona como um catalisador e multiplicador de conhecimento, permitindo que pessoas sem condições de acessar informações em ambientes físicos, possam aprender e ter acesso a conteúdos cada vez mais personalizados e eficientes. É um recurso importante para atender a grandes contingentes de alunos de forma efetiva e sem riscos de reduzir a qualidade do ensino.

O Brasil está numa fase de consolidação da EAD, principalmente no Ensino Superior, com crescimento expressivo e sustentado. Prova disso são os dados do Ministério da Educação, que mostram que um em cada cinco novos alunos de graduação no país ingressa em um curso a distância. Ou seja, cerca de 20% dos universitários estudam entre aulas na internet e em polos presenciais.

O número comprova o avanço da educação a distância, mas a modalidade ainda sofre ressalvas. A mentalidade conservadora das pessoas é um entrave para o desenvolvimento do Brasil. De qualquer modo o modelo semipresencial teve um grande impulso dado pelo governo, com a criação da Universidade Aberta do Brasil em 2005, disponibilizando milhares de vagas em cursos superiores oferecidos em parceria com universidades federais. As aulas são dadas parte em ambiente virtual, por meio da internet ou de programas de TV, e parte no formato presencial. Desse modo, a democratização do ensino está sendo possível, em grande parte, graças ao Ensino a Distância.

Em estudo publicado pelo governo estadunidense, chegaram à conclusão de que recursos de aprendizagem on-line — que é uma das ferramentas da EAD — constituem, em muitos casos, uma maneira mais eficiente de aprendizado do que a oferecida pelo ensino tradicional.

Segundo Carlos Alberto Chiarelli, ex-ministro da Educação, “Pais e professores podem utilizar a EAD como uma ferramenta de apoio à aprendizagem, fazendo uma mescla de aulas presenciais e virtuais. Outro ponto: quem não pode cursar uma universidade, seja pelo ônus financeiro, disponibilidade física ou distância, pode contar com a EAD para avançar nos estudos e ter, além dos materiais, interação de professores presentes nos polos e ferramentas, como a internet, para auxiliar nos estudos”.

Dentro dessa realidade, o Ministério da Educação (MEC) lançou o Programa de Inovação Educação Conectada, que visa fomentar o uso pedagógico de tecnologias digitais na educação. Dentre suas ações, destacam-se a formação de professores para o uso da tecnologia em sala de aula e formação básica de coordenadores estaduais e municipais, para apoiar a implementação de programas de incentivo ao uso das tecnologias.

Para colaborar com essas ações, a Universidade Federal do Ceará, por meio do seu Instituto UFC Virtual, que possui ampla experiência em tecnologias na educação, está realizando uma pesquisa acerca de formação para o uso das tecnologias digitais, além de dois seminários nacionais para discussão sobre políticas e práticas para a Educação Conectada.

Coordenada pelo professor José Aires Filho, essa pesquisa conta com o apoio da FCPC e, como parte do Programa de Inovação Educação Conectada, pretende beneficiar coordenadores de Tecnologia Educacional e Informática Educativa das redes públicas estaduais e municipais de educação. É claro que, indiretamente, também irá beneficiar professores e alunos com um melhor uso das tecnologias na educação.

Decreto nº 9.204, de 23 de novembro de 2017